Horário de Atendimento: 8h às 17h

Último workshop sobre “Feijoeiro e seus Aspectos Fitotécnicos” do ano reúne 150 participantes em Cristalina

O Crea-GO e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) realizaram no dia 17 de outubro, no auditório do Plenário da Câmara Municipal de Cristalina, o último workshop sobre “Feijoeiro e seus Aspectos Fitotécnicos” de 2018, voltado à produção sustentável do feijoeiro, visando a uma adequada tomada de decisão durante o manejo da cultura. O evento contou com 150 participantes, entre profissionais do Sistema Confea/Crea, acadêmicos e produtores rurais da Região. No total, o workshop foi realizado em quatro cidades do interior goiano: Jataí, Ceres, Morrinhos e Cristalina.

Após a abertura do evento, realizada pelo diretor de Ensino do campus Cristalina do Instituto Federal Goiano (IF Goiano), Dr. Carlos Alberto Fugita; a pesquisadora da Embrapa Arroz e Feijão, Eng. Agr. Dr.ª Flávia Rabelo Barbosa Moreira; e o inspetor titular do Crea em Cristalina, Eng. Civ. e Seg. Trab. Cristiano Reis Brandão. Para o inspetor, o workshop foi enriquecedor. “Tivemos uma boa presença de profissionais e estudantes da área tecnológica e o conhecimento técnico dos palestrantes é excepcional. Foi muito positivo e pretendemos ter aqui na cidade mais eventos tão interessantes como esse”, destacou.

 

O último “Workshop do Feijoeiro e seus Aspectos Fitotécnicos” reuniu 150 participantes no auditório do Plenário da Câmara Municipal de Cristalina
O último “Workshop do Feijoeiro e seus Aspectos Fitotécnicos” reuniu 150 participantes no auditório do Plenário da Câmara Municipal de Cristalina

 Logo após a abertura, a primeira palestra da programação, nomeada “Fenologia do feijoeiro”, foi ministrada pela Eng. Agric. Márcia Gonzaga de Castro Oliveira, que tratou sobre “a fenologia e os aspectos fitotécnicos do feijoeiro, ressaltando as fases vegetativas e reprodutivas”, conforme explicou. Em seguida, a palestra “Manejo de Pragas” foi proferida pela Eng. Agr. Flávia Rabelo, que falou que, a cada ano, o interesse dos produtores técnicos em utilizar o Manejo Integrado de Pragas (MIP) tem crescido. “O MPI visa não só à questão ambiental, mas também à questão econômica. O produtor pode reduzir o número de aplicações sem ter perda de produtividade”, afirmou.

A terceira apresentação, que abordou o “Requerimento de Água”, foi explanada pelo Eng. Agr. Pedro Marques da Silveira. Durante sua fala, o engenheiro mostrou aos participantes a importância manejar bem a irrigação na cultura do feijão. “Falei sobre os cuidados com a irrigação e dei orientações aos produtores de como controlar a água, expondo maneiras de economizar. Queremos que o produtor melhore seu manejo em campo, fazendo uma irrigação controlada, ajudando o meio ambiente. A irrigação é importante, pois gera emprego e renda, mas deve ser levada em harmonia com a água e o meio ambiente”, ressaltou.

  

Pedro Marques da Silveira aborda o “Requerimento de Água”
Pedro Marques da Silveira aborda o “Requerimento de Água”

À tarde, a palestra “Efeitos de Estiagem” foi explicada pelo Eng. Agr. Cléber Morais Guimarães. “Na apresentação, abordei a tolerância, a deficiência hídrica e mostrei como selecionar plantas para essa tolerância e deficiência. Tratei também sobre os protocolos usados; os dois tipos de fenotipagem, um que é usado para avaliar o material em condições de campo e o outro que é usado em ambientes controlados, para avaliar características específicas, como os sistemas radiculares, a quantidade de água que a planta usa e o comportamento produtivo do genótipo”, esclareceu.

Em seguida, a Eng. Agr. Adriane Wendland tratou sobre “Manejo de Doenças”, discutindo “a respeito do manejo integrado de doenças, onde tudo começa e termina com a semente, que é o principal insumo que precisa ser levado em consideração no momento de adoção e de cultivares existentes; de material com fitossanitário adequado no início da lavoura de feijão”, explicou. A engenheira também falou sobre o manejo químico, genético, cultural e físico do feijão, para que se tenha uma boa lavoura e condições fitossanitárias adequadas.

Encerrando o ciclo de palestras, a Eng. Agr. Maria da Conceição Santana Carvalho falou sobre “Exigências Nutricionais e Manejo de Adubação”. Durante a palestra, a engenheira discursou sobre a nutrição e adubação na cultura do feijão e abordou quatro aspectos dentro do tema. “Foi tratado sobre as exigências nutricionais do feijão; como ocorre a redistribuição e absorção dos nutrientes dentro da planta; e com base nisso, os fatores e os compartimentos do solo; além dos nutrientes adquiridos pelo solo e a influência do sistema no aumento da eficiência dos fertilizantes”, salientou. Maria da Conceição também traçou estratégias de manejo e quantidades de aplicação; além de esclarecer o papel de outras culturas dentro do sistema para aumentar a eficiência do uso dos nutrientes dentro da cultura do feijão.

 

Cléber Morais Guimarães ministra a palestra “Efeitos da Estiagem”
Cléber Morais Guimarães ministra a palestra “Efeitos da Estiagem”

Baixe nossos Aplicativos 

   



 

Redes Sociais