Horário de Atendimento: 8h às 17h

Em defesa da sociedade

    Francisco Almeida*

 

Tendo a defesa da sociedade como um de seus objetivos primordiais, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás (Crea-GO) criou o Departamento Técnico, que, com 18 colaboradores especializados em diversas áreas da Engenharia, está estruturado para receber e apurar denúncias e reclamações sobre obras e/ou serviços das engenharias que não atendam à legislação vigente. Algumas de suas funções são promover a conciliação entre a sociedade e os profissionais da área tecnológica, apurando responsabilidades; e acompanhar, in loco, se os profissionais estão ou não comparecendo e dando assistência às obras e ou serviços para os quais foram contratados.

Na atual gestão, o Departamento tem recebido diversas reclamações sobre profissionais que não comparecem aos locais das obras/serviços pelos quais foram contratados e não dão a devida assistência técnica aos empreendimentos em execução. Denúncias sobre profissionais que, por um preço abaixo do mercado, regularizam os documentos necessários perante o Conselho, mas não participam efetivamente da execução das obras/serviços também têm sido recebidas.

Ações como essas preocupam o Conselho, que quer não apenas a regularidade de documentos, mas que os profissionais da área tecnológica estejam presentes durante a execução do trabalho para o qual foram contratados, prestando toda a assistência técnica inerente às profissões abrangidas pelo Sistema Confea/Crea, e cobrem os preços justos, inclusive por suas presenças. Neste ponto, os contratantes precisam entender que o exercício da engenharia gera custos e que, pagando o preço justo, contratam também economia, qualidade, segurança e produtividade para os serviços.

Hoje, em Goiás, a maioria dos problemas construtivos não é resultado de incompetência do profissional do Sistema na direção da obra ou na escolha do material, mas sim da falta de um profissional devidamente habilitado e registrado na supervisão dos serviços executados. E é aí que está a luta contínua do Conselho. O Crea-GO, por meio de suas ações, especialmente pelo trabalho executado pelo Departamento Técnico, espera que os profissionais do Sistema cumpram, com ética e compromisso, a missão para a qual foram preparados.

O Conselho, sob orientação da Advocacia Geral da União (AGU), e sempre obedecendo à legislação vigente do Sistema Confea/Crea, se prepara para punir severa e exemplarmente os engenheiros que atuam dessa maneira irresponsável. A Autarquia goiana visa, assim, à valorização de bons e éticos profissionais e, mais uma vez, à defesa da sociedade que, ao contratar um profissional habilitado e registrado, espera ser tratada com respeito e responsabilidade.

 

* Francisco Almeida é engenheiro e presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás (Crea-GO).

Baixe nossos Aplicativos 

   



 

Redes Sociais