×

1º Seminário de Atualização de Professores reúne 85 participantes no Crea-GO

O evento visou esclarecer os docentes de cursos da área tecnológica acerca das funções e da atuação do Crea-GO junto à sociedade.

Publicado: 06/09/19 20:34
Fonte: Comunicação Crea-GO


[noticia: 1-seminario-de-atualizacao-de-professores-reune-85-participantes-no-crea-go] Durante abertura do evento, o Eng. Civ. Ricardo Ferreira fala sobre os trabalhos realizados pela CEAP - 01.jpg Durante abertura do evento, o Eng. Civ. Ricardo Ferreira fala sobre os trabalhos realizados pela CEAP

Em 4 de setembro, o Crea-GO, com apoio da Caixa de Assistência dos Profissionais do Crea – Mútua-GO e do Sicoob Engencred-GO, promoveu o “1º Seminário de Atualização dos Professores Referente à Legislação Profissional do Sistema Confea/Crea”. O evento, que reuniu 85 participantes de todo o Estado de Goiás, visou esclarecer os docentes de cursos da área tecnológica acerca das funções e da atuação do Crea-GO junto à sociedade.

A abertura do evento foi realizada pelo conselheiro Eng. Civ. Ricardo Ferreira, professor e coordenador da Comissão de Educação e Atribuição Profissional do Crea-GO (CEAP). Em sua oportunidade, Ricardo destacou ser “uma alegria muito grande estarmos na casa dos profissionais do Sistema Confea/Crea para podermos trabalhar em conjunto, passando por uma extensa programação de assuntos importantes para nosso exercício, como professores”.

O conselheiro ainda tratou brevemente sobre o trabalho da CEAP, que coordena. “É uma Comissão que dá suporte às Câmaras Especializadas de cada uma das modalidades profissionais em assuntos relacionados à educação e atribuição profissional, munindo os conselheiros com as informações necessárias para que façam, o mais bem pautados possível, as avaliações e julgamentos referentes ao tema”, resumiu, fazendo um panorama sobre a atual situação do ensino da Engenharia, Agronomia e Geociências em Goiás.

Em seguida, o presidente do Conselho, Eng. Francisco Almeida, abordou a “Atuação do Crea-GO perante a sociedade”. “Queremos formar profissionais realmente capacitados para exercerem suas profissões e que sejam éticos. Por isso é tão importante essa integração entre o Conselho e as escolas. Temos realizando um trabalho contínuo de aproximação com as diretorias, professores e estudantes e é essencial que sejamos parceiros”, ressaltou.

O presidente continuou frisando o trabalho que o Crea tem realizado nos últimos anos, com ações que de fato impactam a sociedade goiana. “Estamos trabalhando em conjunto com as prefeituras, o Estado e diversos órgãos, dando sugestões técnicas para resolver os problemas que envolvem nossas profissões. Defendemos os interesses das nossas profissões e trabalhamos incansavelmente pela valorização dos nossos profissionais. Este seminário também serve para isso: para que nos ajudem a difundir o trabalho que temos realizado em prol da sociedade e em defesa dos nossos profissionais”, destacou Francisco.

Já a palestra “Ações do Crea-GO junto às instituições de ensino no período de 2015 a 2019” foi ministrada pelos representantes da Assessoria Institucional dos Jovens Profissionais, Eng. Eletric. Emely Gomes e Eng. Civ. Ulysses Sena. “Este evento, com tantos professores presentes, é um marco. E é uma honra que possamos mostrar os resultados do trabalho que temos realizado em parceria com as instituições de ensino, em especial com os coordenadores e professores”, apontou Emely.

Ulysses Sena completou: “O Crea-GO tem trabalhado para promover essa integração entre o Conselho e as instituições de ensino de todo o Estado. Entendemos que essa união é muito importante para a formação de novos profissionais, o que reflete no futuro de nossos municípios, do Estado e de todo o País, uma vez que nós, profissionais das Engenharias, Agronomia e Geociências somos os responsáveis pelo desenvolvimento sustentável”.

Em conjunto, ambos apresentaram um balanço do trabalho realizado pela Assessoria Institucional do Jovem Profissional, desde 2015, incluindo, as palestras sobre Ética, Legislação e Valorização Profissional e diversos outros temas ministradas para turmas dos cursos abrangidos pelo Sistema Confea/Crea; e as Solenidades de Ingresso ao Sistema Confea/Crea, em que recém-formados recebem suas carteiras de identidade profissional.

A Eng. Civ. Rosana Melo Brandão, coordenadora de Planejamento e Qualidade do Crea-GO e professora, ministrou a palestra “Lei 5.194/1966 e Lei 4.950-A de 1966, Sistema Confea/Crea e o Exercício do Profissional”. “Destacamos, da Lei 5.194, dentre os mais de 80 artigos, somente aqueles que afetam mais diretamente o exercício do profissional. Pontuamos com alguns exemplos práticos, para que os professores, em suas aulas, também tenham facilidade de relacionar a legislação com a prática do exercício de cada profissão do Sistema Confea/Crea”, resumiu a engenheira.

Coordenador de Educação e Atribuição Profissional do Crea, o Eng. Agr. Ariston Afonso, que também é professor, apresentou os “Decretos 23.569/1933 e 23.196/1933; Resoluções 1073/2016, 218/1973 e 427/1999”. Em sua fala, conforme explica, Ariston abordou “os decretos que criaram o Conselho e iniciaram a regulamentação profissional no País. E também abordamos a legislação em vigor e as inovações sobre a atribuição profissional. Temos o objetivo de orientar os professores, para que eles tenham conhecimento do assunto e orientem os alunos que queiram fazer esse tipo de acréscimo de atribuição ou enriquecimento do histórico escolar”.

No período da tarde, a programação foi retomada com a palestra “Resoluções 447/2000, que discrimina as atividades do Engenheiro Ambiental, e a Resolução 310/1986”, que é referente às atribuições do engenheiro sanitarista. A palestra foi ministrada pela professora Eng. Civ. e Amb. Viviane Vaz Monteiro, também representante da Coordenadoria de Educação do Crea-GO. Em sua fala, foram apresentadas as diferenças entre as profissões de Engenharia Ambiental e Engenharia Sanitarista.

“Apresentamos as principais diferenças entre o engenheiro ambiental e o sanitarista, de acordo com cada atribuição, para que os professores possam abordar com os alunos, em sala de aula, sobre essa diferença, o sombreamento que existe dentro da relação do meio ambiente em conexão com outras profissões de engenharia, geografia e outras profissões fora do Sistema Confea/Crea, como de biologia e farmácia, que hoje também trabalham com a área ambiental”, ressaltou Viviane.

Já a Eng. Eletric. e Seg. Trab. Kristinne Rodrigues, gestora do Departamento de Registro do Crea, abordou a “Lei 6496/1977; Resolução 1025/2009 e Preenchimento de ART”. Como explica Kristinne, a Lei 6496/1977 instituiu a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) em Goiás e no Sistema Confea/Crea.

Segundo a engenheira, a lei tem como objetivo “determinar que todo profissional faça a ART mediante um contrato de prestação ou execução de serviço para quem quer que seja o proprietário, uma pessoa jurídica, física ou órgão público”. Kristinne também abordou “o preenchimento correto da ART, com demonstração prática, para que os profissionais e os professores tenham conhecimento de como entrar no sistema, como preencher o documento e sanar dúvidas dos participantes”.

A palestra também contou com explicação sobre Certidão de Acervo Técnico (CAT), que é um documento em que o Crea certifica, para todos os fins legais, quais atividades encontram-se anotadas no banco de dados do Crea-GO acerca das atividades que o profissional desenvolve; além de falar também sobre a importância da CAT para pessoas física e jurídica.

O assessor institucional do Jovem Profissional Eng. Civ. Ulysses Sena voltou a palestrar, desta vez sobre o “Livro de Ordem”. “Nesta oportunidade, mostrei para os professores a importância e o mecanismo de funcionamento do Livro de Ordem, para que eles tenham o conhecimento e, ao mesmo tempo, possam propagar isso junto ao corpo discente de faculdades e universidades e também oportunizar futuras palestras nas instituições de ensino”.

Já a atuação da “Comissão de Ética Profissional” foi abordada pela advogada Rúbia Tavares, assessora jurídica da Comissão de Ética Profissional do Crea-GO (CEP), e pela Eng. Civ. Letícia Carvalho Moreira Dafico, líder da Área de Análise de Conduta e Infração do Conselho. A engenharia destacou, em sua fala, as principais infrações ao Código de Ética Profissional, separadas pelas modalidades dos profissionais.

“Por exemplo, na engenharia civil apresentei os principais processos que temos relacionados a falhas técnicas em edificações, o não cumprimento de contrato em todas as áreas de atuação. Também temos questões de falsificação de certidão de acervo técnico e de acobertamento profissional. Mostrei onde que essas situações se enquadram no Código de Ética Profissional e esclareci as duvidas que surgiram”, resumiu Letícia.

Finalizando a programação, o agente de atendimento do Sicoob Engecred-GO, Caio Germano; o diretor financeiro da Mútua-GO, Eng. Civ. Luiz Soares de Queiroz; e a coordenadora Geovana Castro e a coordenadora-adjunta Byanca Dourado, do Crea-GO Jovem, realizaram apresentações corporativas sobre suas instituições. O conselheiro Eng. Agric. Bruno Botelho Saleh foi o responsável pelo encerramento do evento.