menu
×

Lamartine Moreira modera painel na Soea Connect

“Repensando as Cidades a partir da Experiência com a Covid-19” foi tema debatido por Jorge Abrahão, Alex Abiko e Rayne Ferretti Moraes

Publicado: 17/09/21 18:35 - Fonte: Equipe de Comunicação do Crea-GO


[noticia: lamartine-moreira-modera-painel-na-soea-connect] O presidente Lamartine Moreira moderou o painel diretamente da sede do Crea-GO, em Goiânia (Foto: Silvio Simões) - SOEA CONNECT - PAINEL LAMARTINE 01.jpeg O presidente Lamartine Moreira moderou o painel diretamente da sede do Crea-GO, em Goiânia (Foto: Silvio Simões)


O presidente do Crea-GO, Eng. Civ., Agric. e Seg. Trab. Lamartine Moreira, moderou, na tarde de 17 de setembro, o painel “Repensando as Cidades a partir da Experiência com a Covid-19”, como parte da programação da Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia – Soea Connect. O evento online, transmitido a partir de Goiânia, será finalizado na noite de 17 de setembro.

O painel moderado por Lamartine Moreira contou com a participação de três palestrantes: o diretor-presidente do Instituto Cidades Sustentáveis, Jorge Abrahão, o Eng. Civ. Alex Abiko, professor titular da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), e a Oficial Nacional para o Brasil no ONU-Habitat, Rayne Ferretti Moraes.

Na abertura das discussões, o presidente do Regional goiano agradeceu aos palestrantes e ao público que acompanhou o painel. Lamartine também agradeceu ao presidente do Confea, Eng. Civ. Joel Krüger, “pela oportunidade de sediar a Soea Connect, primeiro e maior evento virtual das Engenharias, da Agronomia e das Geociências”.

Moreira ainda introduziu o assunto debatido no painel. “Sabemos que o planejamento urbano sempre foi um reflexo de tendências culturais e tecnológicas, mas que as crises também têm um poder de influência. Os sistemas de saneamento modernos, por exemplo, vieram com grandes epidemias e algumas regulamentações habitacionais foram determinadas por medidas contra doenças respiratórias durante a industrialização”, comentou.

O engenheiro ainda frisou que, nos últimos anos, a digitalização e os dados transformaram a mobilidade nas cidades, âmbito da vida urbana que já foi alterado de forma significativa pela pandemia. “O deslocamento, o home office, os negócios que impulsionam a economia e os centros urbanos são questões que parecem estar em mutação, e essas mudanças causaram um debate sobre como cidades devem ser planejadas e, talvez o mais importante, como podem responder às crises atuais e futuras”, finalizou.

Jorge Abrahão foi quem abriu o painel. Em sua fala, destacou a importância das agendas da Organização das Nações Unidas (ONU), destacando-as como fundamentais para a sociedade. O diretor-presidente ainda abordou pontos específicos da vida em sociedade que foram evidenciados pela pandemia, destacando o Mapa da Desigualdade, recentemente lançado pelo Instituto Cidades Sustentáveis, relacionando a Covid-19 com os problemas sociais das cidades.

Em seguida, o Eng. Civ. Alex Abiko iniciou sua participação lembrando a dificuldade de discutir um tema que possui muitas perguntas não respondidas e poucas evidências no âmbito do planejamento urbano. O engenheiro comentou que a pandemia explicitou pontos fortes – a ciência, o Sistema Único de Saúde (SUS) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) – e fracos – a prática do sistema político federativo e a gestão pública – do Brasil. Alex ainda apresentou experiências da norma técnica Cidades e Comunidades Sustentáveis, a primeira norma global referente à sustentabilidade em comunidades urbanas, e definiu outras duas normas técnicas: Cidades Inteligentes e Cidades Resilientes.

Por fim, a Oficial Nacional para o Brasil no ONU-Habitat, Rayne Ferretti Moraes, falou sobre a agenda milenar, implementada de 2000 a 2015, com oito grandes objetivos de desenvolvimento do milênio; e sobre a Agenda 2030, que tem 17 objetivos de desenvolvimento sustentável, que contemplam 169 metas. A Nova Agenda Urbana, que reúne princípios, diretrizes e ações estratégicas a serem adotados por governos, sociedades, universidades, empresas e outros envolvidos com políticas urbanas, com o objetivo de desenvolvimento urbano sustentável, também foi citada. A fala foi finalizada lançando luz sobre as cidades, suas oportunidades e desafios persistentes, além do seu papel em relação à pandemia.

 

Brunno Falcão e Gabriela Menin
Equipe de Comunicação do Crea-GO