×

A Construção Civil não pode parar

A sede terá o atendimento presencial suspenso nos 14 dias de paralisação, mas manterá as atividades internas sem interrupção

Publicado: 01/07/20 14:02
Fonte: Assessoria de Imprensa do Crea-GO


[noticia: a-construcao-civil-nao-pode-parar] - LOGO - BRASÃO.png

O Crea-GO, atento aos decretos publicados pelo Governo de Goiás e pela Prefeitura de Goiânia, respectivamente nos dias 29 e 30 de junho, determinando a paralisação alternada de serviços prestados no comércio e na indústria, informa que manterá suas atividades no Estado de Goiás, que são de interesse público e de caráter essencial.

O Conselho goiano suspenderá o atendimento presencial nos 14 dias de paralisação na sede, em Goiânia, realizando apenas a entrega de documentos emergenciais, como certidões e carteiras profissionais, intensificando o atendimento online. Mas as atividades internas serão mantidas sem interrupção, uma vez que atendem não só profissionais e empresas da capital, mas de todo o Estado e até mesmo de outras regiões do Brasil.

A necessidade da contínua atuação do Conselho Regional de Engenharia se faz ainda mais clara ao considerar que o decreto estadual prevê que obras da construção civil de infraestrutura do poder público, de interesse social, penitenciárias e unidades do sistema socioeducativo, relacionadas a energia elétrica, saneamento básico ou hospitalares, todas envolvendo atividades fiscalizadas pelo Crea, continuarão normalmente no período de fechamento.

O Crea-GO ainda se solidariza com as entidades da Construção Civil goianas, que visam dar continuidade às atividades do setor privado, de maneira ininterrupta, observados os devidos cuidados. O setor movimenta boa parte da economia goiana, garantindo emprego e renda a milhares de famílias, se configurando, ainda, como um ambiente seguro em relação à contaminação pelo novo coronavírus.

Dados da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), divulgados em junho, mostram que o número de infectados atingiu apenas 1,15% do total de 55 mil trabalhadores presentes nos canteiros de obras do país. O Crea destaca ainda que obras paralisadas sem planejamento prévio podem significar risco iminente à população.

O Conselho Regional de Goiás entende a preocupação e o cuidado das autoridades municipais e estaduais, mas, como órgão técnico, tem a obrigação de destacar a importância da manutenção das atividades da Construção Civil como um todo, não só para seus profissionais, mas para toda a sociedade.