menu
×

Escolas de Engenharia e de Agronomia têm prazos para corrigirem deficiências

Caso fragilidades constatadas em visitas técnicas não sejam sanadas, MEC e MPF serão comunicados

Publicado: 16/01/20 18:47 - Fonte: Assessoria de Imprensa do Crea-GO


[noticia: escolas-de-engenharia-e-de-agronomia-tem-prazos-para-corrigirem-deficiencias] Foto: mindandi/Freepik - ESCOLA_ENGENHARIA.jpg Foto: mindandi/Freepik


Visando à prestação de serviços de qualidade nas áreas da Engenharia e da Agronomia, em defesa da sociedade, e preocupado com a qualidade da formação acadêmica dos egressos dos cursos sob sua jurisdição, o Crea-GO tem empreendido esforços para verificar as condições das escolas que formam profissionais dessas áreas.

Por isso, nos anos de 2018 e 2019, assessores e conselheiros realizaram visitas técnicas em 20 escolas de Agronomia; 10 de Engenharia Civil; quatro de Engenharia de Produção; duas de Engenharia Florestal; duas de Engenharia Agrícola; duas de Engenharia Ambiental; duas de Engenharia Mecânica; e quatro de pós-graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho, em todo o Estado de Goiás.

Nas visitas, foram verificadas as instalações físicas disponíveis para a ministração das aulas, como salas de aulas, laboratórios, equipamentos e, quando aplicável, ainda foram verificadas as fazendas-escola, onde são realizadas as aulas práticas. Os representantes do Crea também avaliaram as grades curriculares, as cargas horárias, as ementas das disciplinas e a qualificação técnica dos corpos docentes para ministração de disciplinas profissionalizantes. 

Em algumas instituições de ensino visitadas, foram constatadas diversas fragilidades que podem resultar em formação deficiente dos alunos. Visando sanar essas pendências, o Crea-GO, por meio de suas Câmaras Especializadas, elaborou relatórios fundamentados, apontando as deficiências e sugerindo formas de correção, além de estabelecer prazos para efetivação das medidas cabíveis.

Transcorridos os prazos específicos para cada instituição de ensino, representantes do Conselho goiano farão a verificação dos resultados alcançados. Caso ainda perdurem deficiências, o Crea-GO comunicará as situações aos órgãos competentes, como o Ministério da Educação (MEC) e o Ministério Público Federal (MPF).